quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Necessidade da escrita


Ficar. Tocar. Mudar. Ele queria que suas obras abraçassem esses três verbos. Queria andar de mãos dadas com a escrita. Lembrava-se de Rainer Maria Rilke:

“Acima de tudo, na hora mais silenciosa da noite, pergunta a si próprio: tenho de escrever? Escave dentro de si até encontrar uma resposta profunda. E se esta resposta for afirmativa, se puder enfrentar esta séria pergunta com um «tenho» simples e forte, então construa sua vida em torno desta necessidade.”

― Tenho! ― contestou.

E voltou a desenhar histórias.

Nenhum comentário: