segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Hormônios à flor da pele


Os hormônios borbulhavam, abalroavam-se entre mesas e cadeiras. Bastava um minuto sentado na esplanada da faculdade, a tomar um café ou uma cerveja, para perceber o cenário bocagiano.

― Se alguém viesse aqui agora e dissesse “Ei pessoal, liberado! Podem fazer o que bem entenderem!”, isto viraria uma orgia dionisíaca, um culto ao Baco. Podem crer... ― repetia em tom profético.

Eram rapazes e moças, estudantes nos seus 20 e poucos anos, ávidos por liberar testosterona. Dava para cortar a tensão sexual com uma navalha – e eles certamente ainda a usariam para romper os sutiãs alheios.

(“Aos 18 anos, um sujeito não sabe como se diz bom dia a uma mulher.” | Nelson Rodrigues)

Um comentário:

i disse...

Os hormônios? hahahaha