sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Ligação à meia-noite


Na bolsa, algo tremeu. Era o celular. Na busca, esbarrou na tecla verde e disse “alô” na incerteza de quem estaria do outro lado. Um ex. Era um ex-namorado que ainda mexia com ela.

Os ponteiros cruzavam a meia-noite de uma sexta-feira.

― O que tá fazendo? ― ele quis saber.

― Não estou na cidade ― ela devolveu, ressabiada.

Ainda jogaram conversa fora por alguns minutos. Falaram de trivialidades. O que esperar de uma ligação daquelas?

― Homem para ligar nesta hora quer sexo! ― alertou uma amiga.

― Espera e veja se ele liga de novo outro dia ― ponderou a outra.

Podia ser apenas curiosidade, mas para chamar no início da madrugada era bem provável que ele só quisesse mesmo “dar uma”.

― Por que você não convoca uma das suas amiguinhas? ― ainda arriscou, meio desinteressada, meio ávida pela resposta.

― Porque com você é diferente. Com você tem conexão.

Na sexta-feira seguinte, mandou um SMS para ele:

Oq cê tá fazendo?

3 comentários:

Ricardo disse...

Gosto de seu blog. No entanto, por vezes me inibo de comentar por ser cáustico nas minhas observações.

Gustavo Jaime disse...

Ricardo, este espaço é propício para ser cáustico! Dizer que se inibe é ofensa, meu caro. Manda ver, sem pudor ou temor.

Abraço e volte sempre.

Flora disse...

É sempre assim.