quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Ménage de celebridades


― Eu já fiquei com uma amiga minha, uma vez, quando eu tinha 15, 16 anos. Nem lembro direito. Foi bacana... foi diferente, sabe?

A confissão da namorada, em pleno sol das quatro, o pegou desprevenido. Em questão de segundos, experimentou estados distintos de espírito. Primeiro ciúmes. Depois, excitação.

Daí para frente, virava e mexia ensaiava mentalmente a proposta:

― Linda, sabe aquela tua amiga, Carina? Por que você não a chama pra vir aqui hoje à noite? A gente come alguma coisa, assiste a um filme...

Vislumbrou no Vicky Cristina Barcelona a chance épica de encorajar a aventura a três. Logo que se anunciou o flerte lésbico na película, a namorada rematou, seca:

― Eu não divido homem meu com nenhuma mulher. Nenhuma! Mesmo se ele fosse o Javier Bardem! Brad Pitt e Johnny Depp nem se fala! Só o Gerard Butler... o Gerard Butler tudo bem. Mas só ele também.

― Que isso meu anjo? Não seja tão radical assim. Nem para apimentar a relação?

― Claro que não! Apimentar o quê? Então chama um homem, oras! Aí para mim ficaria quentíssimo. Por que sempre tem de ser duas mulheres?

― Mas você já se pegou com uma amiga...

― Eu beijei! Eu só a beijei... Que pegar o quê? Ah, e não tinha homem nenhum na parada. Éramos somente as duas, entenda.

― E se tivesse... por exemplo... eu?

― Eu, você e uma amiga?

― É...

― Bem, que eu saiba você não é nenhum Gerard Butler.

― Vocês também não são nenhuma Scarlett Johansson nem Penélope Cruz e não tou criando problema pro nosso ménage, tou?

2 comentários:

i disse...

hahahahaha! novamente Inês indaga-se sobre a autoria deste magnifico dialogo

Martha Dias disse...

Hahahaha! Gostei, filho da mãe...