sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O que atrai o macho? (Parte 4/4)


Ânderson não era assim tão garoto. Tinha quase 30 e os sonhos cada vez mais distantes de se concretizarem. Era o “carregador de piano” dos peladeiros. O fôlego impressionava: era capaz de correr cinco quarteirões, jogar futebol por uma hora e ainda ter pique para a meia-maratona de Nova York.

― Gosto de nuca ― libertou no susto.

― Sério? Nuca? ― estranhou Dinho, com uma gargalhada bonachona.

― Concordo com as pernas, os peitos e o olhar. Mas para mim nada bate a nuca. É que as próprias mulheres se esquecem de saber com os homens o que eles gostam e ficam nos achismos delas. Reparem quantas, criminalmente, escondem a sua parte mais sensual. A nuca é o termômetro da entrega. Um doce sopro arrepia até a alma feminina, umas mordidelas e a mulher é sua para sempre por uma noite. A mulher que expõe e se expõe na nuca enfeitiça o homem e a si mesma. Saem os dois vitoriosos. Por isso, a nuca é sublime, é o que abre a trilha do prazer e, por conseguinte, a da felicidade ― poetizou.

Ouviram-se algumas palmas. Jairo brincava com o estilo lírico daquele brucutu de chuteiras. Riram-se todos e, quase ao mesmo tempo, agarraram seus copos e tomaram os últimos goles de cerveja. Estava tarde. A morena, musa do tema da noite, levantou-se para ir embora.

Quando margeou a mesa dos amigos, os quatro rapidamente lembraram-se das zonas de desejo de cada um. Avaliaram pernas, peitos, olhos e nuca com precisão cirúrgica. Assim que ela passou, deram uma checada na parte de trás da carne.

Endireitaram o pescoço, cruzaram as vistas e se depararam com a verdade uníssona daquele instante: nada supera uma boa bunda.

Um comentário:

Ricardo disse...

Gosto de uma boa blognovela. De terça a sexta é um bom formato pois na segunda temos a atenção ainda dispersa do final de semana. De facto há algo que supera uma boa bunda que é a forma como ela rebola, flutua. Nada me fascinou mais no Rio. Dei comigo a andar na rua comparando a forma como se moviam os diversos traseiros que circulavam pela avenida Passos.
Isso só demonstra que eu tinha razão quando disse que está nos olhos o melhor da mulher - é que eu andava na rua de olho no olho.