terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Sexo com ex


Por que o sexo com o ex-namorado tinha sido tão bom? Passaram quatro anos juntos e a melhor vez foi aquela, apenas dois meses depois do rompimento. Não tiveram qualquer pudor de se entregar, de inventar posições, de transpor as mesmices que às vezes os enfadava em silêncio.

Eram excelentes na época de namoro. O problema não era a falta de intimidade ou de encaixe. A rotina tinha chegado até eles, implacável, e tornara o sexo coisa maquinal, automática, desinteressante.

Agora, deitada na cama ao lado do ex, após libertarem-se um no corpo do outro, pensava que a redenção deles estava mais distante. Haviam se tornado dois estranhos, que conhecem muito bem os prazeres e os desprazeres mútuos. “O sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança”, recordava de ter lido no livro ganho no último aniversário de namoro.

O amor já tinha partido. Continuaram a se ver uma vez na semana até que cada um tomou seu rumo, naturalmente. Porém lembravam-se muito mais do sexo depois do que durante os quatro anos juntos.

Um comentário:

Danielle Freire disse...

Definitivamente virar a página não significa fechar o livro...