quinta-feira, 17 de março de 2011

Aprendendo com as libélulas


― Porra meu, aconteceu de novo!

Era a segunda vez que o amigo ligava para ele em menos de uma semana.

― Tudo bem, ela riu, nem esquentou, mas fiquei com aquela cara, né? Afinal, não tou mais na idade disso ― contou, com a voz estremecida.

“Acontece...”, ele balbuciou. Estava ocupado demais assistindo a um programa sobre o acasalamento das libélulas. O amigo metralhou:

― Eu sei que acontece, só que convenhamos: é culpa delas também! Claro que é! Naquela outra noite tava tudo certo e quando chegou a hora, eu empaquei. Fiquei lá, uns 10 minutos pra conseguir. Beleza, fiquei tanto tempo porque eu dispensei a ajuda dela e tal...

Antes de qualquer reação do outro lado do aparelho, o amigo retomou o fôlego.

― E ontem era de um modelo que nunca tinha visto! Que abre na frente, vê se pode?

― Quer saber, meu velho? Vai numa loja e compra logo todos os tipos de sutiãs que existem no mercado. Assim você não passa mais a vergonha de não conseguir vencê-los. Ou então compra uma tesoura e faz o estilo do sexo selvagem. Agora deixa eu ir que as libélulas têm muito a nos ensinar...

Um comentário:

bia de barros disse...

adoro as libélulas, e esse nome fazendo menção à liberdade? tão bonitas... tão sinceras :)