terça-feira, 8 de março de 2011

Tão longe, tão perto


― Um dia ainda vou juntar tudo que tenho e sair daqui, sabe? ― disse o amigo, procurando na rádio uma música que prestasse.

― Vai nada. Você vive dizendo isso, mas sempre inventa desculpas e mais desculpas pra ficar. E olha pra frente, rapaz, enquanto tá dirigindo!

― Porra, não são desculpas. É que coisas surgem no meio do caminho e daí não posso deixar de aproveitar as oportunidades ― tinha conseguido sintonizar Stay, do U2.

― Deixa aí, deixa aí... curto demais essa música. Mas, na boa, o que essas oportunidades te trouxeram até hoje? ― ele inquiriu.

― Muita coisa!

― Sim, muita coisa como a vontade de juntar tuas tralhas e mudar, fugir, sair daqui, por exemplo? Pode virar já a próxima à direita...

― Beleza. Não, essa vontade já é antiga ― firmou, batucando no volante os acordes do refrão. ― Você sabe, não se alterou com o passar dos anos.

― Justamente. Tu continuas com a mesma vontade, mas os anos vão passando. É aqui, chegamos. Mas deixa acabar a música antes de descermos.

Nenhum comentário: