segunda-feira, 11 de março de 2013

Poemeia



Meio-termo de uma vida
meio-vã num vão do
vai-e-vem, meio-sem
tempo-puro-sabor
meio-amor mais ou menos
satisfeito, feito entre
meios-comuns
em comum acordo
meio-morto-meio-vivo
numa metade de felicidade
meio-forçada
esses sorrisos parciais
dos ex-passionais
de meia-tigela.
Meio-dia, meia-hora,
minuto e meio
os fins são justificados
na essência
pela meia-existência.

Nenhum comentário: