quarta-feira, 20 de março de 2013

Turvas recordações



Guardo as tuas curvas
na minha turva memória
trajetórias sinuosas
desde as tuas pernas
permeando até as costas
coxa, bunda, covinhas
espinha acima, eis a nuca
que nunca é demais beijar
desejo a soma
e uma boca de aroma
faz latir o coração
a mão que passeia
passa, serpenteia
nos seios de bicos duros
e num enduro na cama
trama de corpos nus
os azuis da tua íris
um arco-íris de sensações
sem sair das tuas curvas
turvas recordações

Nenhum comentário: